sexta-feira, 1 de julho de 2011

Audiência Pública debate inclusão do PET/CT no SUS

No dia 12 de julho de 2011, na Câmara dos Deputados, a Comissão de Seguridade Social e Família promove audiência pública, a pedido do deputado federal Eleuses Paiva, com representantes da saúde, como o Dr. Celso Darío Ramos, presidente da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear (SBBMN), para debater a inclusão do exame PET/CT na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS).O PET Scan, um dos exames referência da Medicina Nuclear, permite analisar o corpo inteiro em poucos minutos. Além disso, diferencia tumores benignos de malignos, determina a fase do câncer e monitora o resultado do tratamento. A partir deste exame, o médico é capaz de decidir com segurança e rapidez como será o tratamento, se a opção é ou não a cirurgia e acompanhar a evolução do paciente.
O PET Scan tem se tornado cada vez mais importante no diagnóstico e no acompanhamento de diferentes tipos de tumores. Nos tumores de pulmão, por exemplo, o exame pode modificar a conduta terapêutica inicialmente proposta em cerca de 70% dos casos, reduzindo o número de cirurgias desnecessárias em cerca de 60% dos pacientes.

Os resultados favoráveis com relação ao uso do exame PET Scan se repete em outros tumores malignos, como câncer de esôfago, de mama, de tireoide, melanoma, tumores de cabeça e pescoço, colorretal, linfoma e outros.

3 comentários:

  1. E aí, Kubo, como que tá?
    Bem, eu penso que é válida a inclusão dos exames de PET/CT no SUS dada a rapidez dos protocolos de aquisição bem como a capacidade de diferenciação dos tumores (conforme o texto). Agora, serão incluídos exames cujo diagnóstico é exclusivo de um PET/CT como a diferenciação dos tumores, estadiamento; ou TODOS os tipos de exames, que também poderiam ser feitos por um SPECT?
    Digo isso pq, se for segundo caso, não é nada viável a inclusão de um PET ao se comparar o preço de um mesmo exame feito com SPECT. (como uma cintilografia óssea)
    Além disso, será que os cíclotrons dariam conta da demanda?
    Bem, concluindo: Penso que, mesmo que o PET seja utilizado para exames específicos, sua inclusão é justificada pelos números do INCA. E a população será beneficiada com esta tecnologia que é "a menina dos olhos" da Medicina Nuclear.
    É isso Kubo,
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Emerson a inclusão dos exames são para algumas indicações. O FDG não é como o tecnécio, o que inviabiliza diversos tipos de marcações e não acredito que possa substituir. A síntese e marcação exigem módulos específicos e não como acontece com MIBI, ECD, FITATO, etc.
    Concordo que grande parte da população e as mais carentes deveriam ter um acesso maior à tecnologia seja em qualquer área. Conheço o INCa e os profissionais. Acredito que se pelo Brasil existirem pessoas comprometidas com a assistência, como as que conheci por lá, a população está em excelentes assistida por excelentes profissionais.

    Um grande abraço Emerson.

    ResponderExcluir
  3. Ola, você sabe onde encontro os protocolos e normas existentes para o exame de PET-CT no país?
    Desde já agradeço.
    Abraço.

    ResponderExcluir