quarta-feira, 31 de agosto de 2011

PROCESSO SELETIVO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL NA ÁREA DA SAÚDE - 2012 - HCFMUSP

PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL DO HCFMUSP
Público-alvo
Podem candidatar-se ao PAP recém-graduados de nível superior regularmente habilitado, sem vínculo empregatício com o Sistema Único de Saúde (SUS). Para ingressar nos Programas de Aprimoramento Profissional do HCFMUSP, o candidato deverá se submeter a um processo seletivo realizado em duas fases (prova objetiva e prova específica), que são divulgadas no Diário Oficial do Estado e nos sites http://www.edm.org.br/eep e www.vunesp.com.br.

Fisica da Radioterapia: Dirigido a bacharel ou licenciado em Física, tem como objetivo formar profissionais habilitados na área de Física de Radioterapia, inclusive para posterior obtenção de título de especialista. Os aprimorandos participarão de aulas, seminários e da rotina dos serviços de Física Hospitalar e Radioterapia. Efetuarão trabalhos experimentais e desenvolverão monografia para ser apresentada ao final do período.

http://www.edm.org.br/eep/cursos/pap.aspx

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

IMPT: Terapia de Prótons com Intensidade Modulada


A notícia mostra uma técnica de modulação de um feixe de prótons através do escaneamento, ao invés de folhas espalhadoras e compensadores.
O sistema conseguiria otimizar simultaneamente os picos de Bragg dos feixes para cada camada otimizando a dose em cada voxel a partir do camada mais profunda (onde é necessária a maior energia para alcançar) para a mais próxima como uma "pintura" tridimensional.
Confira mais no link abaixo, tá bem interessante e fácil de entender:


Contribuição do CBR à Consulta Pública nº 34 da Anvisa: participe também

Notícias - CBR

A Consulta Pública nº 34 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que revisará a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 25 que regula o regime de vigilância sanitária de equipamentos usados, recondicionados, alugados e em comodato, está aberta para receber sugestões e crítica. O CBR já fez sua parte.
A Diretoria Executiva, juntamente com um grupo de trabalho composto por membros da entidade para este fim, elaborou suas críticas e sugestões à proposta de revisão da RDC nº 25. Conheça a Contribuição do CBR à Consulta Pública nº 34 da Anvisa e faça a sua parte. Participe também encaminhando sua considerações sobre o assunto.
Para participar, basta ler a íntegra do documento que compõe a Consulta Pública nº 34, preencher o Formulário para Contribuições e encaminhar até 27/08 à Anvisa das seguintes formas:
• Correios: Preencha o Formulário para Contribuições, imprima e encaminhe para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, A/C Gerência Geral de Tecnologia de Produtos para Saúde, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) - Trecho 5, Área Especial 57, Brasília/DF, CEP 71205-050.
• Fax: Preencha o Formulário para Contribuições, imprima e encaminhe para (61) 3462-6644, A/C Gerência Geral de Tecnologia de Produtos para Saúde.
• E-mail: Preencha o Formulário para Contribuições e encaminhe em anexo para tecnologia.produtos@anvisa.gov.br. Como alguns associados do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) relataram dificuldade no envio para o endereço fornecido pela Anvisa, o CBR orienta a todos que desejam participar da consulta pública, que, além de encaminhar por e-mail, enviem também via Fax ou Correios.
Para mais informações acesse o site da Anvisa.
Sobre a RDC nº 25
A Resolução da Diretoria Colegiada nº 25 (RDC nº 25), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), está em vigor desde fevereiro de 2001. Ela regula o regime de vigilância sanitária de equipamentos usados, recondicionados, alugados e em comodato.
Entendendo que a RDC nº 25 possibilita a reserva de mercado, o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) solicitou à Anvisa a revisão da mesma.  No último dia 28 de junho a agência reguladora abriu a Consulta Pública nº 34, para receber sugestões e críticas.
A RDC nº 25 possibilitou a centralização dos equipamentos sob regime de vigilância sanitária em poucos fabricantes, que passaram a deter todos os direitos de manutenção, reparo, atualização de software/hardware, substituição de peças e partes defeituosas ou gastas, e a comercialização dos equipamentos usados.

 

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Alguns Webnars sobre imagens em medicina

A revista Applied Radiology torna disponível a todos seminários gratuitos sobre novas tecnologias e soluções em imagens medicas. Vale a pena dar uma olhada.

Para saber mais sobre o assunto, segue o link abaixo:


http://www.appliedradiology.com/expertforums.aspx

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

SBBMN na ANVISA


No dia 17 de agosto de 2011, na sede da ANVISA, em Brasília, o presidente da SBBMN, Dr. Celso
Darío Ramos, se reuniu com o diretor-presidente da ANVISA, Dirceu Brás Aparecido Barbano. Participaram também Jair Mengatti, segundo vice-presidente da SBBMN, Marcelo Moreira, Luciana Porto e Maryangela Santos, os três da ANVISA.  “A reunião foi muito produtiva e a tônica foi o desenvolvimento da Medicina Nuclear no País”, afirma o Dr. Darío que acrescenta: “A reunião foi bastante cordial e surgiram várias propostas”. A diretoria da SBBMN fez um relato do panorama atual da Medicina Nuclear e da produção de radiofármacos no Brasil. Os representantes da ANVISA ressaltaram que, desde 2007, buscam capacitar seus servidores na área e a diretoria da Sociedade se comprometeu a contribuir no que for possível. Os representa ntes da ANVISA ressaltaram ainda estarem cientes da situação do IPEN em relação às RDCs 63 e 64 e que as medidas necessárias para garantir o fornecimento de materiais radioativos pelo IPEN serão encaminhadas. Foram discutidas várias ações conjuntas entre a SBBMN e a ANVISA para favorecer a formação de profissionais envolvidos com a Medicina Nuclear. Na foto: Dr. Darío, Dirceu Barbano e Jair Mengatti.

[boletim SBBMN 22/08/2011]

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Japoneses usam garrafas plásticas para criar novo detector de radiação

(This August 15 story was corrected in the first paragraph to clarify that detectors are made from the same plastic as PET bottles, not from recycled PET bottles. In the second paragraph, the company name has been corrected to Teijin Chemicals Ltd, from Teijin Ltd.)
 
O aparelho, chamado 'Scintirex', deve custar um décimo dos atuais. Projeto foi desenvolvido em parceria por universidade e empresa privada.

Para suprir a crescente demanda por detectores de radiação, um pesquisador japonês elaborou aparelhos feitos de garrafas PET recicladas, e de forma barata. O país sofreu o pior acidente nuclear no mundo em 25 anos após o terremoto e tsunami de março.

Os detectores criados por Hidehito Nakamura, professor assistente da Universidade de Kyoto, no oeste do Japão, em cooperação com a empresa Teijin, cortaram em 90% o custo em relação aos aparelhos existentes, muitos dos quais são produzidos por empresas estrangeiras.

"Queremos ter um produto acabado até o final de setembro, para atender à crescente demanda após o terremoto de março", disse Toru Ishii, executivo de vendas da Teijin.

Nakamura criou o "Scintirex", uma resina de plástico que emite um brilho fluorescente quando exposta à radiação. A resina age como um sensor dentro dos detectores, permitindo medir o nível de radiação.

'Scintirex' é feito com garrafas PET reutilizadas (Foto: Reprodução / Daily Motion) 
'Scintirex' é feito com garrafas PET reutilizadas (Foto: Reprodução / Daily Motion)

O novo material deve reduzir drasticamente os custos para detectores pessoais de radiação e para aparelhos maiores de monitoramento que serão usados pelo governo e empresas.

O departamento de relações públicas da Teijin estima que os sensores para os detectores estarão disponíveis a partir do mês que vem para organizações governamentais e empresas classificadas como prioritárias, por aproximadamente 10 mil ienes (aproximadamente R$ 210) -- um décimo do custo dos materiais atualmente disponíveis. 

O "Scintirex", derivado principalmente da resina de garrafas PET, combina força, flexibilidade e baixo custo da resina amplamente disponível de PET, com a sensibildade à radiação dos "Cintiladores Plásticos", atualmente o principal material sensível à radiação, exportado ao Japão pela empresa francesa Saint-Gobain.

Por enquanto, a empresa francesa domina o mercado de sensores de radiação. No entanto, Ishii disse que a invenção de Nakamura deve competir nesse setor.

Apesar das descobertas de Nakamura terem sido publicadas no periódico científico Europhysics Letter no final de junho, o desenvolvimento do produto se acelerou por causa da crescente demanda.
O terremoto e tsunami massivos de 11 de março afetaram a usina nuclear Fukushima Daiichi, na costa nordeste do Japão, desencadeando o derretimento das barras de combustível e provocando a pior crise nuclear desde Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

Retirado: GI e MedicinaNuclear

terça-feira, 16 de agosto de 2011

PET acoplado à uma tomografia óptica de fluorescência 3D - "PET/3D-FOT"

O artigo publicado esse mês no Jornal de Medicina Nuclear, apresenta resultados promissores na combinação do PET com a fluorescência óptica tomografia (TOF). Essa união trará características únicas e atraentes para em aplicações da imagem molecular vivo.

( http://jnm.snmjournals.org/content/52/8/1268/F7.expansion.html)
(A) Design of conical mirror and schematic of 3D FOT system. (B) Photographs of integration of 3D FOT and PET systems.

Algumas alterações no modelo atual serão realizadas com a finalidade de reduzir a atenuação dos fótons e espalhamento no PET. Entretanto, o estudo conclui a possibilidade de aplicação das duas modalidades conjuntas e a perspectiva da combinação com sondas para a multimodalidade de imagens e pares complementares de radiotraçadores.
Nos próximos anos teremos inovações nos equipamentos híbridos, para aqueles que acharam que a ressonância seria o limite.