segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Mapeamento quantitativo de suceptibilidade - uma nova ferramenta para avaliação de ferro e calcificações


Mapas de valores de fase adquiridas a partir de sequencias GRE e imagens ponderadas em susceptibilidade (SWI) em que ha uma combinação das imagens da magnitude e da fase são utilizados para gerar imagens com contraste que permitem a avaliação de estruturas com ferro. Uma limitação destas técnicas é que inclusões dia- e paramagnéticas, afetam também a fase em áreas de sua vizinhanças, e também, valores de fase dependem da geometria da estrutura em estudo e da sua orientação em relação ao campo magnético. Em SWI, este efeito de extensão pode levar a erros na estimação do tamanho das estruturas em estudo. Estas limitações podem ser evitadas com a técnica recente de mapeamento quantitativa de susceptibilidade em que as imagens de fase são convertidas em susceptibilidade que representam uma propriedade intrínseca e com isso são independente dos parâmetros de aquisição e devem representar o tamanho real da estrutura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário