terça-feira, 29 de maio de 2012

Workshop IRD 2012


fonte: IRD/CNEN
Curso de Pós-Graduação em Proteção Radiológica e
Segurança de Fontes Radioativas
IRD/AIEA

W O R K S H O P
28 a 31 de maio de 2012
Segunda-feira – 28 de maio
8:30 h
Abertura
Prof. Dr. Aucyone Augusto da Silva, Coordenador do Curso de Pós-graduação Lato Sensu
9:00 h -10:30 h
Exploração e Produção de Petróleo Associado ao Material Radioativo de Ocorrência Natural.
Dra. Lúcia de Toledo Câmara Neder, PETROBRAS Exploração e Produção – E&P.
Intervalo 10:30 h – 10:45 h
10:45 h – 12:00 h
GEORAD - Banco de Dados de Radioatividade no Brasil.
Prof. MSc. Tadeu Augusto de Almeida Silva, Engenheiro de Computação do Serviço de Tecnologia da Informação do IRD.

Terça-feira – 29 de maio
9:00 h – 10:30 h
Reconstrução de Doses de Trabalhadores de Indústria de Armamentos Nucleares para Fins de Compensação por Motivos de Doença nos EUA.
Dra. Joyce Lipsztein, Membro do Comitê 2 da Comissão Internacional de Proteção Radiológica (ICRP)
Intervalo 10:30 h – 10:45 h
10:45 h – 12:00 h
Gestão Ambiental em Instalações Nucleares
Sra. Vera Barreto e Sra. Flavia Cruz, Eletronuclear.

Quarta-feira – 30 de maio
9:00 h – 10:30 h
Novas Tecnologias em Medicina Nuclear.
Dr. Michel Pontes Carneiro, Chefe da Seção de Medicina Nuclear do Instituto Nacional de Câncer.
Intervalo 10:30 h – 10:45 h
10:45 h – 12:00 h
Segurança Radiológica e Nuclear em Grandes Eventos Públicos.
Prof. Raul dos Santos, Chefe da Divisão de Atendimento a Emergências Radiológicas e Nucleares IRD.

Quinta-feira – 31 de maio
9:00 h – 10:00 h
Avanços Tecnológicos da Radioterapia.
Dr. Delano Batista, Físico Chefe do Serviço de Radioterapia do Instituto Nacional de Câncer.
Intervalo 10:30 h – 10:45 h
10:15 h – 11:15 h
A Metrologia das Radiações Ionizantes no Brasil
Dr. Carlos José da Silva, Tecnologista do Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes do IRD.
11:15 h – 12:15 h
Proteção Radiológica em Medicina Nuclear
Dr. Tadeu Takao Almodovar Kubo, Físico Médico, CDPI - Clínica de Diagnóstico Por Imagem.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

IV ConFiMe abre inscrições


O quarto Congresso de Física Médica da Unicamp – IV ConFiMe – ocorrerá nos dias 01, 02 e 03 de agosto de 2012, no Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW), da Universidade Estadual de Campinas.


Os objetivos principais são fornecer aos participantes uma visão geral sobre a área de Física Médica no Brasil, possibilitar contatos entre alunos, pesquisadores e profissionais ligados às aplicações de física à medicina de todo o país e além disso, divulgar para um público mais amplo a importância da atividade científica e sua inserção na vida moderna.
Este congresso tem como público alvo os alunos dos cursos de graduação em Física e Física Médica das várias regiões do Brasil, assim como professores e pesquisadores da área.


Os tópicos abordados no IV ConFiMe serão:
·         Introdução à Física Médica
·         Radiobiologia
·         Radioterapia
·         Radiologia
·         Medicina Nuclear
·         Proteção Radiológica
·         Ressonância Magnética
·         Biologia do Câncer
·         Dosimetria
·         Evolução da criação do Programa de Aprimoramento em Física Médica
·         Desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas contra o câncer
·         Panorama da Física Médica no Brasil e no Exterior
Tais temas serão apresentados por renomados especialistas de importantes instituições de pesquisa e assistência à saúde de todo o país que atuam nas principais áreas de Física Médica, em hospitais, em empresas e na área acadêmica.
O IV ConFiMe está sendo organizado por alunos dos cursos de graduação em Física Médica da Unicamp, que são auxiliados e orientados por docentes do IFGW e do Centro de Engenharia Biomédica (CEB), todos da área de Física Médica.

Para se inscrever, acesse ivconfime.blogspot.com

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Política de segurança em radioterapia

Os acidentes, quando ocorrem, na maioria das vezes, não são causados isoladamente por uma pessoa, mas por uma série de eventos que caracterizam uma falha no processo, ou seja, na implementação e avaliação de um programa de garantia da qualidade.

Na área da radioterapia, um programa de garantia da qualidade muitas vezes é equivocadamente entendido, simplesmente, como necessário às atividades de dosimetria. Talvez este fato seja induzido pelas exigências dos órgãos reguladores não serem mais explícitas nesta área.

Um programa de garantia da qualidade envolve todos os profissionais que participam das diversas etapas do processo associado a uma atividade específica, como a radioterapia, por exemplo. A documentação dos processos, o treinamento consistente e periódico do staff, a atribuição de responsabilidades, o registro e análise de ocorrências, a determinação dos ajustes necessários, a análise de risco do processo e, finalmente, as auditorias, representam uma boa parte do escopo de um programa de garantia de qualidade básico.

Para continuar lendo este artigo, clique aqui.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Require free access over the Internet to scientific journal articles arising from taxpayer-funded research.

"We believe in the power of the Internet to foster innovation, research, and education. Requiring the published results of taxpayer-funded research to be posted on the Internet in human and machine readable form would provide access to patients and caregivers, students and their teachers, researchers, entrepreneurs, and other taxpayers who paid for the research. Expanding access would speed the research process and increase the return on our investment in scientific research.

The highly successful Public Access Policy of the National Institutes of Health proves that this can be done without disrupting the research process, and we urge President Obama to act now to implement open access policies for all federal agencies that fund scientific research."

Acesso livre aos papers Americanos. Há nos EUA uma petição pública que beneficiará todos nós com o acesso livre aos artigos científicos. Todos nós podemos participar! Participem e divulguem! link

Varian Brachytherapy 2012 Clinical Forum

 
 

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Ponte entre a academia e a indústria nacional

Notícia publicada em Gazeta do Povo
 Publicado em 21/05/2012 | Juliana Gonçalves
Roberto Custódio / Gazeta do Povo /  Alexandre Urbano e Jair Scarminio: estudo pioneiro mostra que baterias usadas podem ter vida útil prolongada em 80%

Há alguns anos, o governo brasileiro tenta estimular na indústria nacional a alta tecnologia e a inovação. Uma alternativa que pode alavancar esse estímulo foi apresentada pela comunidade científica. Pesquisadores pretendem mostrar que a física pode contribuir para o desenvolvimento tecnológico e, com isso, aumentar a competitividade do setor industrial do país.
http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1256930&tit=Ponte-entre-a-academia-e-a-industria-nacional

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Luz faz curvas sem truques e sem manipulações


 


Cientistas já conseguiram fazer a luz passear por caminhos complexos e até forçar a luz a fazer retornos completos em forma de U. Nesses casos, porém, eles sempre usaram materiais artificiais, ou metamateriais, para guiar as ondas de luz.

     
Luz faz curvas sem truques e sem manipulações     Agora, cientistas demonstraram pela primeira vez que a luz sozinha, sem nenhuma interferência externa, pode fazer curvas suaves e precisas.


Confira a reportagem no site Inovação Tecnológica

quarta-feira, 16 de maio de 2012

The Human Brain Project

 
The brain, with its billions of interconnected neurons, is without any doubt the most complex organ in the body and it will be a long time before we understand all its mysteries. The Human Brain Project proposes a completely new approach. The project is integrating everything we know about the brain into computer models and using these models to simulate the actual working of the brain. Ultimately, it will attempt to simulate the complete human brain. The models built by the project will cover all the different levels of brain organisation – from individual neurons through to the complete cortex. The goal is to bring about a revolution in neuroscience and medicine and to derive new information technologies directly from the architecture of the brain.

Today, simulating a single neuron requires the full power of a laptop computer. But the brain has billions of neurons and simulating all them simultaneously is a huge challenge. To get round this problem, the project will develop novel techniques of multi-level simulation in which only groups of neurons that are highly active are simulated in detail. But even in this way, simulating the complete human brain will require a computer a thousand times more powerful than the most powerful machine available today. This means that some of the key players in the Human Brain Project will be specialists in supercomputing. Their task: to work with industry to provide the project with the computing power it will need at each stage of its work.

The Human Brain Project will impact many different areas of society. Brain simulation will provide new insights into the basic causes of neurological diseases such as autism, depression, Parkinson's, and Alzheimer's. It will give us new ways of testing drugs and understanding the way they work. It will provide a test platform for new drugs that directly target the causes of disease and that have fewer side effects than current treatments. It will allow us to design prosthetic devices to help people with disabilities. The benefits are potentially huge. As world populations grow older, more than a third will be affected by some kind of brain disease. Brain simulation provides us with a powerful new strategy to tackle the problem.


 source: http://www.humanbrainproject.eu/index.html