terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Med Nuclear : Caso 9

CASO 9 :

Considerando que o laudo do paciente abaixo dependerá SOMENTE da análise dos parâmetros quantitativos (fração de ejeção, espessamento da parede, motilidade e análise de fase) qual seria a opção mais adequada ?



SOLUÇÃO :

Primeiro, existe uma diferença entre como conseguimos identificar o ciclo cardíaco e como o equipamento o identifica. A identificação se dá pela altura do R (QRS ) com relação a base. Em alguns equipamentos podemos configurar o nível de detecção (%), em outros esse ajuste é estabelecido pelo fabricante. Assim, não necessariamente, o que é possível nós identificarmos é passível de identificação pelo software da gama.
Se optássemos pela resposta a) o software somaria todos os ciclos válidos (com variação dentro da janela temporal) durante o tempo preestabelecido por nós para a duração da projeção. O resultado seria projeções com estatística muito baixa. Optando pela resposta b) teríamos um aumento no número de ciclos aceitos, porém com a maior tolerância diminui a sincronia entre as fases dos ciclos. Isso acontecendo cada uma das projeções correspondentes a um intervalo do ciclo, em uma dada linha de visada (posição do detector), apresentarão um borramento, tanto mais intenso quanto maior os episódios arrítmicos. O resultado de ambas opções acima discutidas será perda da fidelidade dos parâmetros quantitativos do exame. A fração de ejeção diminuirá assim como a motilidade e o espessamento das paredes. Optando pela c), devemos verificar com o cardiologista se a arritmia é tratável e remarcar após tratamento.
Finalmente, a resposta mais adequada é comunicar o cardiologista que esse procedimento não se aplica ao paciente em questão.


Sergio Brunetto

PS: Para visualizar outros casos selecione a TAG ENSINO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário